quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

BIOSFERA -Moda Sustentável

Moda, arte e meio ambiente sob o olhar de Sandra Machado


Texto: Márcia Costa
Fotos Isabela Carrari
Modelo Anoã Vanelli

Arte, meio ambiente e moda criam belas conexões nas mãos de Sandra Machado. A natureza marca presença nas criações da estilista e artista plástica nascida em Goiás – seja como tema de seus figurinos, seja como fonte de preservação, a exemplo do mais recente projeto de reutilização de materiais que empreendeu em parceria com a Cooperilha, uma cooperativa de reciclagem de lixo urbano situada na comunidade de Santa Cruz dos Navegantes, em Guarujá (SP).

Depois de viver muitos anos em Belém (PA), em janeiro de 2008 Sandra trocou a Amazônia pela Mata Atlântica. Recentemente ela consolidou na Baixada Santista um trabalho que resultou em uma moda elegante e criativa, produzida a partir de resíduos orgânicos e urbanos, onde materiais aparentemente sem utilização alguma foram invariavelmente convertidos em belíssimos figurinos e acessórios.

Recém-chegada a Santos, em janeiro de 2008, primeiramente Sandra rendeu seu olhar para marcos da história, das artes plásticas, da arquitetura, da literatura e de ícones da natureza santista, rapidamente transpostos para vestidos e kaftas na exposição "Cantos da Costa - Poesia em Traje", realizada em novembro de 2008 na Pinacoteca Benedicto Calixto (http://estilosandramachado.blogspot.com/). A coleção é composta pela técnica de estamparia o batik javanês (uso de cera derretida para desenhar) e emprego de artesanatos têxteis, como bordado, aplicação de pedrarias, crochê e tricô. Em seguida, a estilista foi convidada pela Ong Uno e Verso a prestar uma consultoria de design para a Cooperilha, onde emprestou seu trabalho de design à conservação ambiental.

“Criar a partir de materiais recicláveis faz parte de minha história. Nos anos que passei na Amazônia, embora tenha trabalhado também com resíduos urbanos, como fita cassete e fios de cobre, trabalhava mais com resíduos orgânicos, como sementes, fibras de palmeiras, conchas, fragmentos de madeira e de minerais”.

Apesar de ter assumido desde o ano 2000 a criação de moda, arte e figurinos como principal ocupação, a etnóloga e educadora ambiental estão bastante vivas em Sandra. Ela explica que o projeto socioambiental possibilita gerar renda enquanto ajuda a evitar que resíduos, como garrafas PET e banners de vinila, vão parar nos mangues e Mata Atlântica.

O resultado da consultoria foi o design de 18 peças de banner, exclusivas para a Cooperilha, incluindo bolsas, capas de notebook, necessaire e capas de chuvas, além de quatro modelos de colares de flores de garrafa PET.

Encantada com o feliz casamento entre moda-arte, a fotógrafa Isabela Carrari (www.isabelacarrari.com.br), que já havia registrado o trabalho de Sandra na coleção “Cantos da Costa, Poesia em Traje”, emprestou novamente seu talento ao registro dos figurinos e acessórios desta moda ecológica, realizado no Bar Tolentino, em Santos.

Nesta entrevista ao Artefato Cultural, Sandra Machado dá detalhes do projeto desenvolvido na Cooperilha:

Fale um pouco sobre o projeto com a Cooperilha de reutilização de materiais para produção de roupas e acessórios. Como é esse trabalho?
A Cooperilha é formada por 11 mulheres, das quais três são costureiras. As costureiras foram meu público alvo mais direto a quem, a convite de Lia Cassetari, coordenadora da ONG UnoeVerso, prestei consultoria de estilo e design por seis meses. Nesse período desenvolvemos uma coleção, especialmente de bolsas, feitas de lona de banners doados à cooperativa para reciclagem. Além das peças de banner, criei uma minicoleção de bijuterias montadas a partir das flores de PET produzidas na cooperativa, inicialmente destinadas à confecção de arranjos decorativos. Batizei esta coleção de PouBelle, um trocadilho com a palavra francesa poubelle, lixeira, e belle, de beleza.

Conte sobre o cotidiano de trabalho com as mulheres da comunidade.
Durante esses seis meses de consultoria segui uma agenda de trabalho em campo num contato cotidiano, quando procurei repassar algumas técnicas e uma visão mais abrangente do mercado de moda e design.

Qual conceito você imprime às criações?
Sendo uma coleção sob encomenda, procurei atender à demanda da cooperativa, no caso, o cliente. Priorizei peças com grande apelo comercial e ótimos preços. A coleção foi criada exclusivamente para a Cooperilha, que detém totais direitos de reprodução e comercialização das peças. A parte conceitual, que no meu caso não poderia faltar, trabalhei com a criação de corsets de papel, utilizando as técnicas de empapelamento, papier marché, decoupage e pintura. O mais importante nesse trabalho é a questão da responsabilidade ambiental e social, presentes no trabalho que a UnoeVerso vem desenvolvendo junto à Cooperilha.

Que tipo de peças foram desenvolvidas?
Foquei nas peças utilitárias, como as ecobags e bandoleiras de campo, mas com algumas bolsas de apelo fashion também, claro!

Como está sendo a recepção do mercado?
A aceitação tem sido a melhor possível, mesmo com as vendas sendo feitas de maneira informal. A UnoeVerso tem como objetivo numa próxima fase do trabalho desenvolver estratégias de venda e acelerar a produtividade.

SERVIÇO:
Quem se interessar em doar banners e garrafas, comprar peças ou fazer encomendas, basta ligar para (13) 3354-1210 ou acessar http://cooperilha.blogspot.com/.

Colaboração do site
www.artefatocultural.com.br






Um comentário:

Érika Pereira disse...

Adorei! Parabéns pela iniciativa.